Pela 5ª vez o mais influente da web em Goiás. Confira nossos prêmios.

Dia 24 de abril

Fórum permanente sobre acidente com Césio 137 será lançado em Goiânia

Evento será aberto ao público | 19.04.17 - 14:17 Fórum permanente sobre acidente com Césio 137 será lançado em Goiânia (Foto: divulgação)

A Redação

Goiânia -
O acidente com o Césio-137, ocorrido em 1987 no setor Aeroporto, em Goiânia, completa 30 anos em 2017. Com o objetivo de levantar informaçoes sobre a situação atual das vítimas e lutar pelos direitos delas, será lançado em Goiânia um Fórum Permanente sobre o maior acidente radioativo do Brasil e o maior do mundo ocorrido fora das usinas nucleares.
 
O Fórum é um espaço social de debates e ações que reúne associações de vítimas do césio, cidadãos e instituições. Por meio da organização de discussões e eventos, ao longo do ano, o projeto pretende colocar em destaque a restauração da cidadania das vítimas e a conservação da memória do acidente. O lançamento, aberto ao público, será no dia 24 de abril, às 8 horas, no Auditório Costa Lima, na Assembleia Legislativa de Goiânia.
 
A mesa do evento será composta pela Associação das Vítimas do Césio-137, Associação dos Contaminados, Irradiados e Expostos ao Césio-137, coordenador do Fórum, professor Julio Nascimento, presidente da Assembleia Legislativa, o deputado José Vitti, dentre outras autoridades. O evento também contará com representantes de instituições parceiras de outros estados do Brasil, como a Associação Hibakusha Brasil pela Paz, representada por seu diretor, Kunihiko Bonkohara, sobrevivente da bomba atômica de Hiroshima, no Japão. Além de Sérgio Dialetachi, ex-integrante do Greenpeace e expert na questão da energia nuclear e da Articulação Antinuclear Brasileira (AAb). 
 
Os organizadores do Fórum convidam a sociedade a relembrar o passado do acidente, analisando suas causas e consequências e a atuação que tiveram os órgãos responsáveis da época, como a Comissão Nacional de Energia Nuclear (CNEN), governos e demais instituições públicas.  De acordo com o promotor de justiça Marcos Antônio Ferreira Alves, em depoimento concedido ao documentário Césio-137 O Brilho da Morte, de Luís Eduardo Jorge, foi configurado acidente apenas quando houve a abertura da cápsula que continha Césio-137, substância radioativa, pelo dono de um ferro velho, Devair Alves Ferreira, que não sabia dos perigos de seu conteúdo. Pois, segundo o promotor, “as pessoas não estavam esperando aquilo (...). Agora, quando o Estado já sabia, a União já sabia e não protegeu os cidadãos, ela, pelo contrário, mandou que pessoas fossem trabalhar ali, o Estado mandou seus servidores para lá, a União contratou, aí já não houve acidente”.
 
Relembre o caso
Um dos maiores acidentes com o isótopo Césio-137 teve início no dia 13 de setembro de 1987, em Goiânia. O desastre fez centenas de vítimas, todas contaminadas por meio de radiações emitidas por uma única cápsula que continha césio-137. 
 
Ao vasculharem as antigas instalações do Instituto Goiano de Radioterapia (também conhecido como Santa Casa de Misericórdia), no centro de Goiânia, dois catadores de material reciclável depararam-se com um aparelho de radioterapia abandonado e removeram a máquina com a ajuda de um carrinho de mão. Eles levaram o equipamento até a casa de um deles.
 
Os homens acharam que se tratava de sucata e venderam o fragmento a um ferro-velho. A cápsula projetava uma luz brilhante que despertou curiosidade, e muita gente acabou manuseando o material. O acidente foi descoberto duas semanas depois. Após os primeiros sinais de contágio pela radioatividade, a peça foi levada à Vigilância Sanitária, que constatou tratar-se de material tóxico. A partir de então, casas e ruas foram isoladas, e a cidade foi invadida por especialistas e técnicos em radiação. Moradores fizeram testes para saber se estavam contaminados. Os primeiros atendimentos foram no Estádio Olímpico de Goiânia, e os casos mais graves foram transferidos para o Rio de Janeiro.
 
Mais de mil pessoas foram contaminadas por radiação de césio-137. Na ocasião, quatro morreram. Mas, estima-se que dezenas de pessoas faleceram em consequência de complicações desenvolvidas a partir da contaminação pelo césio 137. (Com informações de agências)
 
SERVIÇO:
Lançamento do Fórum Permanente Sobre o Acidente com o Césio-137
DATA: 24/04/2017
HORA: 8h
LOCAL: Auditório Costa Lima, na Assembleia Legislativa de Goiânia.

Comentários

Clique aqui para comentar
Nome: E-mail: Mensagem:
Envie sua sugestão de pauta, foto e vídeo
62 9.9850 - 6351