Pela 4ª vez o mais influente da web em Goiás. Confira nossos prêmios.

Sobre o Colunista

João Unes
João Unes

João Unes é jornalistas e diretor presidente do jornal A Redação / joao.unes@aredacao.com.br

Carta ao leitor

Smartphones superam desktops na distribuição de notícias

AR participa de Congresso Mundial de Mídia | 02.06.15 - 17:21 Smartphones superam desktops na distribuição de notícias 66º Congresso Mundial de Mídia é realizado em Washington, nos EUA (Foto: João Unes/A Redação)
João Unes

Washington - Os smartphones estão a um passo de se tornarem a principal plataforma de distribuição de notícias no planeta. A revolução mobile, prevista para acontecer em dois anos nos grandes mercados consumidores de notícias, chegou mais cedo que o esperado, segundo pesquisadores que estudam o fenômeno.
 
Em países como Estados Unidos, Reino Unido e Itália, os smartphones já são a principal plataforma de distribuição de notícias, desbancando a TV e dispositivos como computadores de mesa e tablets.
 
O tema dominou os três primeiros dias do 66º Congresso Mundial de Mídia, que reúne mais de 900 jornalistas, publicitários e empresários de 75 países em Washington, capital dos Estados Unidos. 
 
Mais uma vez, o jornal A Redação é o único veículo de comunicação de Goiás a ser convidado para participar do congresso, o maior evento do mundo na área de jornalismo e mídia.
 
Oito em cada dez pessoas buscam informação em seus smartphones até 15 minutos, em média, depois de acordarem, segundo a Associação Mundial de Jornais. Comportamentos como este reduziram pela primeira vez o uso de computadores de mesa como distribuidores de notícia.
 
A informação está na última edição da pesquisa Tendências da Imprensa Mundial (Global Press Trends), divulgada nesta segunda-feira (1°/6) na capital norte-americana por Larry Kilman, diretor de marketing da Associação Mundial de Jornais (WAN-Ifra).
 
A tradicional pesquisa, que analisa dados em redações de jornais de 70 países, que representam 90% da indústria global de notícias, revela que o tempo médio gasto pelo consumidor de notícia no smartphone, de 97 minutos por dia, superou pela primeira vez a TV, com 81 minutos de audiência média diária. 
  
”As notícias de última hora (breaking news) chegam hoje às pessoas pelo alerta do smartphone, e são distribuídas pelas redes sociais”, destaca Emily Bell, diretora do cadeira de Jornalismo da Universidade de Columbia, de Nova York. 
 
No Brasil também a busca por notícias em celulares avança rapidamente. “Esperávamos que os smartphones ultrapassassem os desktops e tablets em 2017, mas essa virada já aconteceu no Paraná”, analisa Guilherme Döring, CEO do grupo Gazeta do Povo, de Curitiba.  
 
De acordo com a pesquisa Global Press Trends, os desktops perderam para os smartphones, nos últimos 12 meses, o posto de principal plataforma para busca de notícias nos Estados Unidos, Reino Unido e Itália. 
 
A pesquisa Tendências da Imprensa Mundial compreende dados disponibilizados por tradicionais jornais de mais de 70 países e associações nacionais de mídia, com apoio de empresas especializadas em estatísticas de mídia, como ComScore, Zenith Optimedia, Ipsos, Pew Research Center, RAM e ITU. 
 
O fenômeno dos smartphones como principais divulgadores de notícia acontece de forma acelerada. Tablets e desktops não acompanham os celulares na mesma velocidade na corrida por informação, afirma Robert Picard, diretor de pesquisa da Fundação Reuters, de Oxford (Inglaterra). Em 19 dos 25 maiores jornais dos Estados Unidos, o tráfego gerado por dispositivos móveis superou os desktops em pelo menos 10%, segundo o Pew Research Center.
 
Outro dado importante mostra que o número de pessoas que se informa somente pelo celular cresceu 53% em março de 2015, em comparação com o mesmo mês no ano passado, Segundo a Associação de Jornais dos Estados Unidos (NAA).

O Congresso Mundial de Jornais prossegue esta semana com debates enfocando temas como inovação nas redações, segurança de jornalistas, liberdade de imprensa, crescimento de pequenos e médios jornais nas plataformas digitais, entre dezenas de palestras e painéis.

Nesta terça-feira, o brasileiro Marcelo Rech, diretor do grupo RBS, assumiu a presidência do Forum Mundial de Editores, organização responsável por promover o debate global entre profissionais de comunicação. Em seu discurso, o gaúcho defendeu a liberdade de expressão e a segurança dos jornalistas no desempenho de suas funções.

Comentários

Clique aqui para comentar
Nome: E-mail: Mensagem:
  • 17.08.2015 01:56 Euripedes

    Eu já sabia, eu sou um dos oito entre dez.

  • 29.07.2015 16:04 Danilo Bossanova

    Parabéns a toda equipe do jornal A Redação. Ficou muito bom o novo layout. Responsivo, fluído. Show. Vocês trabalharam rápido. Em menos de 2 meses, desde a publicação desse artigo, lançaram o site novo. Gostei muito. Parabéns á equipe de desenvolvimento. Vocês capricharam.

  • 04.06.2015 23:21 Danilo Bossanova

    Esses dados realmente comprovam a percepção que temos de que os acessos são em sua maioria em dispositivos móveis. Espero que AR, pense em responsivisade...torne seu site fluido para que esse grande número de leitores consiga ler de maneira mais agradável o conteúdo.

Sobre o Colunista

João Unes
João Unes

João Unes é jornalistas e diretor presidente do jornal A Redação / joao.unes@aredacao.com.br

Envie sua sugestão de pauta, foto e vídeo
62 9.9850 - 6351